PREBIÓTICO X PROBIÓTICO. QUAL A DIFERENÇA?

A utilização de alimentos que promovem bem-estar e melhora na saúde vem sendo enfatizada e encorajada nos últimos anos, com o objetivo de maximizar a expectativa e qualidade de vida dos nossos pets.

Uma alimentação balanceada é essencial para a saúde dos pets. Porém, nem sempre o alimento que oferecemos a eles contém todos os nutrientes necessários e a suplementação pode se fazer necessária. Uma alimentação pobre em nutrientes pode fazer com que a flora intestinal dos animais entre em desequilíbrio, deixando-os mais susceptíveis à doenças.

Os conhecidos “alimentos funcionais” trazem benefícios além da nutrição básica, podendo ser aliados até mesmo na prevenção de doenças. Dentre os mais conhecidos, temos os carboidratos fermentáveis, prebióticos e probióticos.

Mas afinal, o que são prebióticos e probióticos?

Os PREBIÓTICOS são carboidratos não digeríveis que estimulam seletivamente a profileração e/ou atividades de bactérias indesejáveis no intestino. Em palavras mais simples: servem como “alimento” para bactérias boas do nosso intestino, e também dos nossos pets. Os prebióticos mais utilizados na alimentação animal são os fruto-oligossacarídeos (FOS), mananoligossacarídeos (MOS) e a parede celular de levedura (PCL).

A presença do prebiótico na dieta favorece um ambiente intestinal mais ácido, tornando-o mais favorável à presença e crescimento de bactérias boas, dando menos espaço assim, para as bactérias patogênicas (ruins).

Já os PROBIÓTICOS são suplementos à base de microorganismos vivos (bactérias e leveduras benéficas) que podem ser incorporados à dieta dos animais, afetando de forma benéfica o desenvolvimento da flora microbiana do intestino. Muitas situações podem fazer com que a concentração de bactérias patogênicas aumente no intestino, como por exemplo a mudança brusca na alimentação.

A alimentação natural para os pets é apontada hoje como tendência mundial, e muitos tutores resolvem mudar drasticamente a alimentação do pet, sem saber que essa transição gera um estresse no intestino dos pets e, portanto, deve ser acompanhada sempre de um probiótico.

Tanto prebióticos quanto probióticos são importantes em situações de estresse, nas quais pode haver queda da imunidade do animal, tornando-o mais suscetível à doenças. Fases de desmame, vacinação, uso de antibióticos ou qualquer mudança na rotina do animal podem ser consideradas situações de estresse, que demandarão esforço ao sistema imunológico do animal, deixando-o frágil. E não há intestino que aguente isso, nós sabemos bem!

Ambos são indicados em qualquer fase da vida de cães e gatos, portanto, não há desculpas para não manter o intestino dos nossos pets sempre saudável! Além de restaurar a saúde e prevenir doenças, os pets voltam a ter mais motivação e energia!

E não esqueça, consulte sempre um Médico Veterinário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *